Sinto tanta necessidade em falar; mas o falar me cansa;
Sinto, talvez com o peso da idade, a sensibilidade antes tão controlada, chegando a picos de desespero;
Ando tão só, em meio a multidões;
Ando por estradas que não pensei trilhar; por caminhos que nem sei onde irão chegar; mas sigo, inconformada, tentando tatear e descobrir, o por que desse mundo vasto interior, em contraponto com essas sombras que por ora vejo..
Tenho vontade de gritar; tenho em mim tantos sonhos e meus passos se arrastam por um mundo que não me faz sentido.
Cada palavra a mim dirigida; cada voz mais alta; cada palavra nos olhos escrita, me calam fundo na alma, porque já não tenho paz; Meus dias tem sido um vaivém de lugares e cheiros, da qual nunca sonhei estar.
Sinto que a cada momento a explosão virá...se não pela vida que sigo, a alma enfim liberta de seus grilhões, há de reinar.

Comentários

Postagens mais visitadas